Você está prestando atenção à economia da atenção?

Read Time: 3 minutes

Doodle Logo

Doodle Content Team

Updated: 21 de jun. de 2023

Blue screen with applications on mobile phone

Você vai ao Facebook para conferir um evento e, vinte minutos depois, está em seu sétimo vídeo sobre o próximo filme da Marvel.

Você abre Instagram "só para conferir alguns vídeos de gatos antes de ir para a cama" e seu plano original de ter um doce sono de oito horas está agora comprometido. "Seis também está bem", você sussurra para si mesmo.

Mesmo que você não esteja familiarizado com o conceito de economia da atenção, você certamente é membro dele: aplicações e plataformas competindo constantemente pelo nosso tempo, e usando diferentes - alguns diriam manipuladoras - técnicas para alcançá-lo. Você sabe: desça um pouco mais, passe mais algumas fotos, verifique aquelas notificações vermelhas para ver o que está por trás delas.

A tecnologia certamente pode nos unir, mas poderia haver algo diferente na própria maneira como essas plataformas e aplicativos são projetados? Alguns dizem um promissor "sim".

Facebook? É complicado

Muito pode ser dito pela forma como o Facebook, nosso gigante da mídia social, tem se saído recentemente. Está perdendo seu apelo devido a todas as questões éticas, políticas e legais perguntas que tem que enfrentar? Em termos de novos usuários, provavelmente não globalmente, uma vez que os países com infra-estrutura emergente de Internet rápida estão contribuindo para um número crescente de usuários do Facebook. No entanto, na esteira dos escândalos sobre o modo de operação da empresa, muitos debates foram suscitados e campanhas como #deleteFacebook decolando.

Enquanto alguns afirmam apagar uma conta no Facebook é uma declaração política sem sentido, há muitas pessoas reconsiderando o uso das mídias sociais em geral, procurando formas menos intrusivas e distrativas de manter contato com a família e amigos. Embora nem todas elas devam ser alternativas ao Facebook, existem listas de plataformas que visam - ou pelo menos espera-se - facilitar a socialização entre seus usuários e diferem do Facebook em termos de anúncios, configurações de privacidade e promessas de não compartilhar (leia-se: vender) seus dados com terceiros. Estes são aplicativos de mensagens, plataformas de videoconferência, calendários e outros tipos de aplicativos que, em vez de serem projetados para mantê-lo rolando, na verdade têm a intenção de ajudar você a fazer as coisas. Quão louco é isso?

Não faça coisas melhores, faça coisas melhores

O que torna uma plataforma ou um aplicativo ético? Tristan Harris, um ex-técnico de design no Google e uma das pessoas por trás do movimento Time Well Spent, fala sobre a economia da atenção e o que ela significa para as pessoas por trás dos aplicativos que estamos usando. Harris nos lembra que a forma como certos aplicativos de mídia social operam é o resultado de escolhas conscientes de design feitas pelas empresas e que somos direcionados (ou distraídos por) certas imagens, vídeos ou sugestões por nenhuma outra razão que não seja para maximizar o tempo que passamos nessas plataformas.

"O Facebook diz que não quer ser o árbitro da verdade, mas já é o árbitro dos pensamentos, controlando o que aparece em primeiro lugar. E está criando um ambiente totalmente inabitável para nossas mentes", diz Harris. As conseqüências de tais escolhas de projeto, de acordo com Harris, são bastante alarmantes: "Se não podemos concentrar nossa atenção naquilo que nos interessa - não podemos cumprir nossos objetivos". Se não pudermos manter nossa atenção nas questões que interessam em nossas cidades, comunidades ou governo - nossa democracia não funciona. Se não pudermos manter nossa atenção por tempo suficiente para compreender desafios complexos - nossas conversas sobre tópicos complexos não funcionam".

O ditado que diz que "não basta fazer melhor, precisamos fazer coisas melhores" é exatamente o que Harris está propondo e trabalhando. E se os aplicativos foram projetados para realmente nos ajudar a nos concentrar no que é importante, em vez de nos distrair com perseguições triviais, ele pergunta.



O que vem a seguir? Desça para ver*

Embora as empresas de tecnologia possam não ter más intenções, é simplesmente impossível que a forma como elas estão competindo entre si na crescente expansão da economia atenta não nos afete. E enquanto pessoas como Tristan Harris estão trabalhando em reimaginar a cidade, como ele mesmo diz, outra força continua sendo os próprios usuários, exigindo constantemente transparência, responsabilidade e mais controle sobre suas aplicações.

Related content

SUS_Hero

Scheduling

Folhas de registro: Simplificando a coordenação de eventos

by Purnima Kumar

Read Article
two people smiling

Scheduling

7 dicas para programar avaliações de desempenho mais eficazes

by Franchesca Tan

Read Article
Group Planning

Scheduling

A melhor maneira de programar o tempo para o trabalho em rede

by Franchesca Tan

Read Article

Solve the scheduling equation with Doodle